Pular para o conteúdo principal

Postagens

Postagem em Destaque (postagens recentes abaixo)

O que o "Espiritismo" deve fazer para merecer respeito

(Autor: Kardec McGuiver)
O caso ocorrido na Espanha acendeu uma luz amarela para nosso blog. A acusação de charlatanismo foi considerada uma ofensa, mesmo sem sequer verificada. Além do charlatanismo, o "Espiritismo" pratica de fato, infelizmente, desonestidade doutrinária, pois fala muito sobre Allan Kardec, mas defendendo pontos que contradizem com as teses do codificador francês.
Mal algo pode ser feito para reverter isso. São duas maneiras: ou os "espíritas" fazem uma revisão doutrinária na religião em que acreditam e desistem de tudo que foi feito pela FEB, inclusive descartando - sim descartando, jogando fora - Bezerra de Menezes, Chico Xavier, Divaldo Franco e similares. Estes são os deturpadores que inseriram um monte de ideias estranhas que arruinaram a doutrina original. 
Ou, na hipótese de querer preservar o repertório dogmático, que soa tão agradável aos próprios seguidores, poderiam fazer o oposto, seguindo os pontos abaixo:
PARA COMEÇAR, MUDAR DE NOM…
Postagens recentes

Caridade "Espírita" nunca tirou pessoas da pobreza

(Autor: Kardec McGuiver)
A opinião pública e sobretudo os "espíritas" consagraram as lideranças desta religião como "os maiores filantropos do mundo" a ponto de forjarem uma lenda que diz que eles "atingiram a perfeição máxima, não precisando mais reencarnar". Uma lenda que vai contra o Espiritismo original que diz que todos na Terra pertencem ao mesmo nível espiritual e precisarão reencarnar, para encararem novas experiências que desafiarão a desenvolver novas habilidades.
Mas quem tem o bom senso desenvolvido sabe que a caridade praticada pelos "espíritas" brasileiros nunca gerou o resultado esperado, nunca passando de uma ajudinha precária que nunca foi além de dar uma espécie de compensação para que os mais carentes suportem a sua condição indigna.
A caridade "espírita" nunca foi de fato eficiente. Na verdade foi o meio de promover as lideranças "espíritas" e atrair mais fieis à seita para gerar dinheiro aos diretores da…

"Maior caridade" de Chico Xavier foi uma grande PERVERSIDADE. Saiba por quê

(Autor: Professor Caviar)
Tida como a maior bondade de toda a carreira do suposto médium Francisco Cândido Xavier, a divulgação de "cartas mediúnicas" se revela uma grande perversidade, um espetáculo que alimentou o sensacionalismo da imprensa marrom, prolongou as tragédias familiares mesmo com a "felicidade" das mensagens atribuídas aos mortos e promoveu demais um ídolo religioso, que se tornou alvo de fanatismo.
Esse espetáculo, além disso, é comprovadamente contrário aos ensinamentos trazidos pelo Espiritismo original, que não recomenda atividades assim tão ostensivas e que só servem para estimular sentimentos obsessivos e emoções extremas e perigosas. Daí a grande crueldade que Chico Xavier havia feito durante anos, e que de modo nenhum pode ser reconhecido como uma caridade, sob qualquer hipótese.
Antes que os chiquistas acusem de intolerância religiosa ou desaforo, é bom saber que Allan Kardec reprovaria tais atos, os considerando bastante arriscados e perig…

Chico Xavier era especializado em "bombardeio de amor", tipo perigosíssimo de dominação das pessoas

(Autor: Professor Caviar)
O episódio é conhecido. Uma pessoa normalmente cética vai a um "centro espírita" onde Francisco Cândido Xavier realiza palestras e consultas. A pessoa em questão tem dúvidas sobre a credibilidade religiosa do "médium" e chega ao local com uma boa carga de desconfiança.
Mas, assim que ocorre a palestra e as atividades relacionadas à sessão, a pessoa sai chorando copiosamente, tomada de profunda comoção e, supostamente, de extrema beleza e energias confortantes. Passa a se tornar um devoto de Chico Xavier, chegando a considerá-lo um "santo".
Há vários elementos de "muita beleza" nesses eventos. Na aparência, palavras amorosas, músicas relaxantes de melodias doces, pobres e doentes sendo assistidos, mensagens de fraternidade e paz e toda uma aura de comoção, afetividade e carinho. Mas, cuidado, tudo isso pode ser bastante perigoso e muito traiçoeiro.
O que aconteceu foi a aplicação de um recurso falacioso considerado de n…

Jornalista de Diário da Noite sofreu fascinação obsessiva por Chico Xavier

(Autor: Professor Caviar)
Ainda analisando o caso do disparo acidental que José Divino Nunes deu, em 08 de maio de 1976, no amigo Maurício Garcez Henrique, causando sua morte, um jornalista do Diário da Noite, de São Paulo, o repórter policial Orlando Criscuolo, foi tomado de paixão religiosa e de fascinação obsessiva por Francisco Cândido Xavier depois da divulgação de supostas psicografias atribuídas ao jovem morto e reunidas no livro Lealdade, de 1982, organizado por Hércio Marcos Cintra Arantes, hoje editado pela igrejeira IDE.
Ele tentou se fazer de "cético", forjando uma carta com nome e endereço fictícios solicitando a Chico Xavier a indicação de remédios para o tratamento de determinada doença. Supostamente tentando testar se a "mediunidade" era uma mistificação ou não, o repórter depois foi tomado da fascinação obsessiva motivada pelo apelo emotivo e religioso do "médium", seduzido diante do aparente ceticismo. 
Ou talvez o ato do repórter tivess…

Justiça aceitou suposta psicografia de Chico Xavier para resolver tragédia em 1976

(Autor: Professor Caviar)
Não bastasse o suposto médium Francisco Cândido Xavier ter sido beneficiado pela famosa seletividade da Justiça, sendo inocentado, por empate jurídico, do caso da apropriação do nome do falecido escritor Humberto de Campos, ele acabou também virando um pretenso colaborador da Justiça policialesca que, ao arrepio da Ciência Espírita, aceitou uma carta supostamente mediúnica para inocentar um acusado de crime, num episódio que ficou muito famoso na segunda metade da década de 1970.
Havia dois jovens amigos, José Divino Nunes e Maurício Garcez Henrique, que tinham um excelente convívio. De repente, os dois estavam na casa de José, no bairro Campinas, em Goiânia. Na sala, Maurício pegou o revólver da pasta do pai de José e, descarregando as balas do cartucho, de brincadeira apontou o revólver para o amigo, que logo disse para deixar a arma. Pegou o objeto das mãos de Maurício, que foi para a cozinha pegar cigarros, enquanto José, com a arma na mão, tentava mexer…

Quem financiou as viagens dos palestrantes e "médiuns" do "espiritismo" brasileiro?

(Autor: Professor Caviar)
Os "médiuns espíritas", oficialmente, vivem em plena renúncia do dinheiro. Há, claro, a exceção de João Teixeira de Faria, o João de Deus, curandeiro que não consegue esconder suas funções de latifundiário e empresário, tendo inclusive investido em bingo.
Mas Francisco Cândido Xavier e Divaldo Pereira Franco tornaram-se famosos pelo alegado desapego ao dinheiro, como se fossem pessoas eminentemente espiritualizadas. Será mesmo? Figuras como essas, cuja "caridade" é muito festejada mas apresenta sérios problemas - os benefícios trazidos aos necessitados não foram muitos e, no caso das "cartas mediúnicas", há uma série de aspectos negativos que vão do sensacionalismo às fraudes, além de expor de forma ostensiva as tragédias familiares - , apenas não tocavam em dinheiro, mas há quem pague as contas por eles.
Chico Xavier e Divaldo Franco acumularam prêmios na Terra, pelo muito pouco que fizeram. Muitos se esquecem que a suposta fil…

Rádio Boa Nova demonstra que "espiritismo" sinalizou para o "Fora Dilma"

(Autor: Professor Caviar)
O "espiritismo" se autoproclama "progressista" e sustenta essa falsa postura com aparatos de pretensa humildade e suposta simplicidade. Exemplo disso é que seus principais sacerdotes, chamados de "médiuns", dispensam as batinas e economizam nos rituais, evitando exageros na pompa ritualística como se observa nos católicos.
Isso e os apelos emocionais das crianças pobres e a "caridade" marqueteira do Assistencialismo fazem com que o "espiritismo" seja aceito por setores das esquerdas, mesmo com um histórico no qual o "movimento espírita" demonstra se identificar melhor com políticos e ativistas de direita, como a defesa do golpe militar de 1964 da FEB, o apoio à ditadura militar por Francisco Cândido Xavier e as recentes aparições de Divaldo Franco e João de Deus ao lado de políticos decadentes e retrógrados, respectivamente, João Dória Jr. e Michel Temer, num clima de indisfarçada cumplicidade.
Um t…